Notícias

11/Mai/2018

NOTA DE FALECIMENTO: Professor Elias Antônio Jorge

Elias Jorge, a dedicação, o conhecimento, a disponibilidade, com uma certa irreverência que aproximava e suavizava o árduo tema de construção do SUS sobre a ótica do seu financiamento. Sua partida para a outra margem do rio nos deixa saudosos e carentes de sua generosa amizade.
Equipe Idisa

É com pesar que o Conselho Nacional de Saúde (CNS) comunica o falecimento de Elias Antônio Jorge, aos 70 anos, que foi coordenador-adjunto da Comissão de Financiamento e Orçamento deste órgão, além de consultor da área entre 1997 e 2003. A morte ocorreu na tarde desta sexta (11/05), em Belo Horizonte, em consequência de sequelas após um Acidente Vascular Cerebral.

Elias Jorge, mais conhecido como Professor Elias, contribuiu de forma decisiva no acesso à informação às contas do Ministério da Saúde, em defesa do controle social e do Sistema Único de Saúde (SUS). Foi o responsável pela criação do Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde (SIOPS), importante ferramenta que subsidia as ações do controle social no seu trabalho de fiscalização.

Ele também foi coordenador do Departamento de Economia da Saúde do Ministério da Saúde de 2003 a 2010. Professor Elias era matemático e lecionava na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Era casado, deixa a esposa, duas filhas e duas netas. Ele também deixa uma série de seguidores no CNS, que reverberam seus ensinamentos na área, dentre eles Ronald dos Santos, presidente deste conselho, Francisco Funcia, atual consultor da Cofin e Lenir Santos, conselheira nacional responsável por trazer o professor Elias para a área de saúde.

Em junho de 2017, o professor foi homenageado durante uma oficina regional sobre financiamento do SUS, realizada na capital mineira para conselheiros estaduais e municipais de saúde, devido à sua dedicação aos trabalhos realizados no CNS e na Cofin. “O professor Elias é um dos grandes defensores do financiamento do SUS e realizou trabalhos fundamentais para subsidiar a Comissão em sua atuação frente ao controle social na saúde”, afirmou, à época, Wanderley Gomes, atual coordenador da Cofin.

A contribuição do Professor Elias por uma saúde pública e de qualidade para todos os brasileiros e brasileiras foi fundamental e continuará reverberando em nossas práticas e desafios em defesa da participação social e dos direitos constitucionais da população no acesso à informação para que tenhamos uma saúde gratuita, universal e de qualidade.

Por Conselho Nacional de Saúde

20/03/2018 Dia do Orgulho SUS